Você sabe quais são as 7 maravilhas do mundo antigo?

Esqueça tudo o que lhe foi dito até agora, porque as 7 maravilhas do mundo (as originais) não são aquelas que você acha que são. Preste atenção!

POR QUE AS 7 MARAVILHAS DO MUNDO EXISTEM?

POR QUE AS 7 MARAVILHAS DO MUNDO EXISTEM?

Antes de responder a essa questão digna de buscas no Google, precisamos conhecer a definição exata de maravilha do mundo. É sobre os momentos que marcaram uma época na história. Até aí tudo está correto. Mas você poderia listar todos eles?

Não fique nervoso, pois estamos convencidos de que as 7 maravilhas do mundo moderno estão na sua cabeça. Pense, pense:

  • Chichen Itza, no México.
  • O Coliseu, em Roma, na Itália.
  • A estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, Brasil.
  • A Grande Muralha da China, na China.
  • Machu Picchu, em Cuzco, Peru.
  • Petra, na Jordânia.
  • O Taj Mahal, em Agra, na Índia.

No entanto, elas não estão no topo da lista porque esta "competição internacional '' remonta a tempos antigos, quando o artista holandês Maarten van Heemskerck, no século XIV, selecionou obras arquitetônicas e esculturais que não deixou ninguém indiferente. Destas, apenas uma permanece e a existência das outras é um mistério. O artista escolheu como quantidade o número 7, pois é um número considerado pela cultura helenística como perfeito. Daí surgiram as antigas maravilhas que inspiraram o concurso que catalogou as modernas. Em total, 7 monumentos que nós apresentamos abaixo, desejando que você "os visite" como puder. Mas lembre-se: você só pode ver a última !
 

AS 7 MARAVILHAS DO MUNDO ANTIGO

O FAROL DE ALEXANDRIA

Foi construído no século III aC. C. pelo arquiteto grego Sóstrato de Cnido na ilha de Pharos, sob o reinado de Ptolomeu I (323-285 a.C.) .Localizado na baía de Alexandria (Egito) para guiar os navios até aquele local. O farol guiava os marinheiros por um fogo que ardia dia e noite, em combinação com uma série de espelhos e lentes cuja luz podia ser vista por mais de 50 quilômetros da costa. Uma obra-prima do século VII, que não deixou restos, pois Califa Al-Alid ordenou a sua destruição, alegando que sob suas fundações estaria escondido o tesouro de Alexandre, o Grande. Era tudo mentira!

No entanto, eles tentaram reconstruí-lo e seus restos foram parte de uma mesquita, que entrou  em colapso em 1314 devido a um terremoto.

por Ana Rosa Welerson